Posts Tagged ‘clássicos’

h1

GRE-NAL

25/09/2008

 

O Gre-Nal é talvez, a maior paixão do povo gaúcho. Nada mais motiva, nada mais mexe com as questões mais profundas da alma do Rio Grande do Sul que o encontro dos dois maiores clubes do estado.

Desde 1909, quando se enfrentaram pela primeira vez, o jogo se tornou um marco para as duas torcidas. Aonde quer que existam um gremista e um colorado, dia de Gre-Nal é sagrado. Não importam os compromissos particulares, profissionais ou familiares, todas as atenções serão sempre voltadas para a partida de futebol.

 

GRENAIS MARCANTES PARA OS COLORADOS

O Internacional sempre venceu em jogos decisivos ou cercados de circunstâncias especiais. Foi assim na inauguração da nova bandeira do Grêmio (7 a 3) e na inauguração do Olímpico (6 a 2). No aniversário de 200 anos de Porto Alegre, o colorado também se saiu vitorioso. Somente em 2004, o Internacional venceu o Grêmio no dia do seu aniversário (2 a 1 pelo Gauchão dia 4 de abril), e no aniversário do rival (2 a 0 pela Copa Sul-Americana no dia 15 de setembro), feito homenageado pelos torcedores com um irônico e bem-humorado “Parabéns pra você”. E, é claro, acabou sendo colorado o milésimo gol em Gre-Nais. Foi também o Inter o primeiro (e até o momento, único), time a superar a barreira dos 500 gols no clássico com um gol de Almir em 1999.

 

GRENAIS MARCANTES PARA OS GREMISTAS

Acredito que para os gremistas os Gre-nais que mais marcaram a historia foram os dois primeiros clássicos da história com vitórias marcantes, o primeiro foi pelo placar de  10 x 0 para o Grêmio e segundo foi 6 x 0. Outro Gre-nal marcante ocorreu no ano de 1935, conta a lenda que para o Inter bastava o empate para então ser campeão da cidade de POA, o jogo estava empatado até os 35 min do segundo tempo, então quando a torcida do Inter já comemorava o título o Grêmio fez o primeiro gol e aos 40 min sacramentou a vitória, reza a lenda que neste jogo Eurico Lara goleiro do Grêmio na época morreu em campo após defender um pênalti. Outro Gre-nal marcante aconteceu em 1977, após 8 titulos estaduais consecutivos do Inter o Grêmio montou um time que mesclava veteranos com jovens e quebrou a serie invicta do Inter.

ESTATÍSTICAS DO GRE-NAL

Jogos: 372

 Vitórias do Internacional: 137

Vitórias do Grêmio: 118

Empates: 117

Gols do Internacional: 528

Gols do Grêmio: 495

Logo chegamos a conclusão que o Inter é muito superior ao co-irmão, como mostram os números acima.

O GRE-NAL de domingo.

Conversando com gremistas e colorados não dá para chegar a uma conclusão de quem é o favorito para este Gre-Nal (porque será?). Mas em minha opinião, existem dois motivos que me levam a crer que o COLORADO sairá vitorioso deste confronto: 1° – O Grêmio entra em campo pressionado pelo Palmeiras que está a apenas um ponto e poderá acabara rodada com 2 atrás, caso o Palmeiras vença o Náutico (nada fora do normal), 2°  – Este é o derradeiro jogo para o Inter, ou vence o Gre-Nal ou as esperanças de disputar a Libertadores no ano do centenário ficarão bastante distantes.

Evandro Feltrin é gaúcho e colorado de alma. Escreve no Flanews a convite da administração e “tenta” ser imparcial na sua análise do grande clássico do Rio Grande.

Anúncios
h1

Adversários que respeitamos (São Paulo FC)

10/09/2008

 

São Paulo 2 x 2 Flamengo – Final da Supercopa 1993

 

Bem me lembro desta quarta-feira.

 

Lembro-me também que ainda garoto, e com um pai botafoguense fanático, tive uma das noites mais sofridas e felizes da minha infância.

 

Isto porque estava de castigo e meu, pai severo como só ele, não ia permitir que eu assistisse ao jogo como parte da punição.

 

Começa o jogo. Cruzamento na área – acho que foi um escanteio, alguém escora e Casagrande completa de cabeça pro fundo do gol do segundo maior goleiro da história tricolor.

 

O que me lembro, como se fosse agora, foi meu pai entrando no quarto e dizendo: Vai lá pra sala ver o jogo comigo. Quem sabe num dá sorte. Esses caras num podem ganhar. Ninguém merece flamenguista feliz.

 

E lá fui. Não deu outra: gol do Flamengo! Sei que foi do Gaúcho, também de cabeça se não me engano. Imaginem o medo de voltar ao castigo? Porém meu pai resolveu insistir na aposta que eu daria sorte.

 

Jogada de mestre! Leonardo? Djalminha? Não! Mestre Telê Santana. Saca o lateral direito Vitor e coloca o número 15 Juninho (ele ainda não era Paulista).

 

Duas arrancadas. Dois chutes que pareciam que não faria a bola sequer chegar ao gol, quanto menos vencer Gilmar. E não é que as duas entraram? Empate no tempo normal. E agora?

 

Penalidade máxima! Estranho, mas quando vi aquele Marcelinho Carioca já não fui com sua cara. O futuro corintiano já havia ganhado um lugar dentre os meus detestados do futebol. Mas isso só até a sua cobrança quando passei a admirá-lo, adorá-lo: ELE PERDEU!!!! E mesmo que não tivesse perdido, acho que o Zetti estava nela.

 

O triste é saber que domingo vou ao Morumbi, assistir a mais um São Paulo e Flamengo e dessa vez ver Jorge Wagner com a mesma 7 que uma vez Muller usou.

 

A recompensa é que verei um Hernanes com a mesma 15 que nos salvou naquele jogo.

 

E, quem sabe, eu não dou sorte agora também?

 

Saudações Tricolores!

 

Diego Honorato é publicitário, desesperado pelo Tricolor Paulista, e muito orgulhoso de torcer para o único Penta Campeão Brasileiro. Escreve no Flanews a convite da administração do blog.

h1

O PRIMEIRO FLAXFLU DO ANO

28/08/2008

Ari x Nelson

Ari Barroso x Nelson Rodrigues

Passado quase todo o mês de agosto, neste domingo assistiremos o primeiro FLAXFLU sério de 2008. É, porque não dá pra considerar o jogo do Campeonato Carioca, nem o do primeiro turno do Brasileirão. Ambos foram disputados com reservas e mais reservas em campo, o que inegavelmente tira a graça do negócio.

O momento do Flamengo é melhor. Invicto no segundo turno, o time parece ter superado a má fase e a “saudade” de Marcinho e Renato Augusto. Marcelinho Paraíba, se ainda não encantou, pelo menos mostrou que pode ser muito útil. Jogador versátil e criativo, o nordestino tem tudo pra virar ídolo da Nação Rubro Negra. Outra novidade que pode aparecer é o argentino Rubens Sambueza, que veio do futebol mexicano, mas apareceu no River Plate da Argentina. Bem, quem já jogou o “superclassico” (Boca x River), sabe o que é pressão… Como torcedor, me irrita um pouco a insistência do Caio Júnior com Jailton e Cristian. O primeiro é, no máximo,  um zagueiro mais ou menos… o segundo não é mau jogador, mas esse ano, a fase ruim que não termina nunca.

O Fluminense vive tempos de indefinições. O ídolo Tiago Neves, odiado por todos os rubro negros da Terra, ao que parece não jogará. Ainda bem… Que ele seja feliz na Alemanha ou na Espanha, ou em qualquer lugar longe do Rio. Em compensação, o ótimo zagueiro Tiago Silva volta, após o bronze com o time do Prof. Dunga. A verdade é que o Fluminense se enfraqueceu muito desde a derrota da Libertadores para o LDU. Saíram Gabriel, Cícero e Dodô… Recentemente, num encontro com amigos tricolores, ouvi muita reclamação sobre a gestão do Branco no departamento de futebol. Na visão dos torcedores, o dinheiro existe por força do forte patrocinador, mas reforços… nada. Essa semana o LDU anunciou que o volante Urrutia continuará em Quito, para desespero dos tricolores que vêm em campo o exterminador Fabinho distribuindo pontapés. Bem, nunca é demais lembrar que eles estavam só a 5 kilômetros da Libertadores de 2009, né?

Axé!

Léo Pereira

*na foto, torcedores inesquecíveis de Fla x Flu.