Posts Tagged ‘atlético mineiro’

h1

Brasileirão 2009 – terceira rodada

25/05/2009

Foi um fim de semana em que o FLANEWS não teve atividade, por conta de uma viagem. E também para descansar um pouco desse negócio de posts diários. Enfim, baterias regarregadas, vamos a algumas ntoinhas sobre a rodada do Campeonato Brasileiro 2009.

  • No sábado, o Corinthians com time misto e sem Ronaldo, recebeu o Barueri (Gremio Barueri é um nome horrível) e não conseguiu vencer a equipe do atacante Pedrão. 2×1 para o Timão com direito a gol de Souza, o criticado!
  • O Cruzeiro foi anfitrião do Vitória e a diferença técnica entre os 2 times ficou evidente no placar de 2×0, com os dois gols marcados pelo distribuidor de cotoveladas Kleber.
  • Em Goiânia, o Internacional com 7 reservas encarou o Goiás. O time gaúcho foi até pressionado mas conseguiu fazer o gol da vitória no fim do segundo tempo com o garoto Taison.
  • Já no domingo, Palmeiras x São Paulo empatarm no Palestra Italia num jogo com arbitragem polêmica e grande atuação dos goleiros. Marcos segue em 2009 com uma regularidade ade atuações de alto nível. Já o São Paulo, chegou a 2 pontos mas Muricy pareceu não estar tão preocupado com isso na entrevista coletiva.
  • No Maracanã, aconteceu a primeira goleada do campeonato. O visitante Santos não tomou conhecimento do confuso e mal treinado Fluminense e marcou 4×1. Como registro, a expulsão do lateral tricolor Eduardo Ratinho após entrada grosseira no garoto Neimar.
  • Gremio x Botafogo foi um jogo mais ou menos como Cruzeiro x Vitoria. A diferença técnica é muito grande entre os 2 times e só com muita sorte o time carioca conseguiria um bom resultado em Porto Alegre. O gremio lutará na parte de cima da tabela e o Botafogo na de baixo.
  • Na Arena da Baixada, uma virada improvável do bravo Nautico contra o Atlético Paranaense. 3×2 com virada a partir de 2×0… O Furacão é bem fraco em 2009.
  • No ABC paulista, o Flamengo teve maioria da torcida contra o Santo André. Josiel (por incrível que pareça) resolveu um jogo que não foi fácil. Mas se o Rubro Negro aspira conquistas maiores nesse brasileirao, nao podia perder ponto para o pequeno time paulista.
  • O Sport ainda parece desnorteado após a eliminação da taça Libertadores. Perdeu em casa para o Atlético-MG por 3×2. Aliás, no Galo Mineiro, o criticado Celso Roth vem iniciando um trabalho interessante. Melhor esperar um pouco mais para falar a respeito.
  • Por fim, em Floripa, o Avaí recebeu o Coritiba. Chances para ambos os lados e o resultado final foi um apaziguador 2×2.
Anúncios
h1

Mais uma, Vitória?

07/05/2009

Desde o início do dia todos aqui em casa falávamos do jogo do Vitória contra o Atlético MG. Passamos todo o tempo vibrando e confiantes de uma grande partida. Estávamos motivados pela conquista do tri-campeonato baiano (mesmo sabendo que ganhar esse campeonato é mais obrigação do que mérito), pensando no jogo como algo fácil, pois tínhamos uma larga vantagem (3gols) sobre o adversário. A certeza de triunfo era tão forte que já pensávamos na próxima batalha, e ja imaginávamos o próximo oponente a ser abatido, o Vasco da Gama.

O Vitória entrou com campo com a formação 5-4-1, jogando com 3 zegueiros, 2 laterais, 3 volantes, 1 homem de ligação e 1 atacante. Quando vi essa escalação já senti que algo de errado estava por vir, pois tínhamos uma vantagem de 3 gols (sendo que n tomamos nenhum gol em casa) e 1 gol feito obrigaria o Atlético MG à fazer 5 gols para se classificar, pois na regra da Copa do Brasil, gol marcado fora de casa é critério de desempate.

O time desde o inicio da partida se mostrou lento, tenso e sem confiança. Obviamente que jogar contra um time tradicional do futebol brasileiro, no Mineirão, não é nada fácil, mas será que o Vitória deveria levar isso em consideração, sendo que o Atlético vinha de uma crise, perda do campeonato mineiro, 9 gols sofridos e 1 feito, em 3 jogos, mudança de técnico? Será que não seria interessante partir para cima, tentar fazer um gol para definir a classificação e depois se fechar todo?  Acho que o treinador Capegiani não percebeu o critério da Copa do Brasil, esqueceu da qualidade mediana do elenco que tem e demonstrou medo da equipe adversária.

O jogo começou e, como esperado diante da escalação do Vitória, o Atlético MG partiu para cima com muita ferocidade. Aos 23min fez o primeiro gol e continuou pressionando o tempo inteiro, sendo que o Vitória só havia chegado em um momento, com uma cobrança de falta de Ramon, sem muito perigo.

No segundo tempo o Vitória continuou com a mesma postura defensiva, com uma defesa confusa, meio campo apagado e o atacante Neto Baiano (que será citado na sequência) isolado na frente, e tome pressão dos mineiros. Já esperávamos uma reação do treinador, pois, do jeito que a coisa estava, o gol do Atlético MG era uma questão de tempo. Foi aí que ele surpreendeu a todos. Simplesmente sacou do time o único jogador lúcido e o mais competente do time, Ramon, colocando um menino novo, Adriano (bom jogador), para se aproximar do protótipo de atacante (Neto “Chorão” Baiano), desorganizando mais ainda o setor de meio campo do time. 

Num desses lances inesperádos, o menino que acabara de entrar em campo, fez uma grande jogada, num contra-ataque, e numa troca de passe com o protótipo de atacante, sofreu o penalti. Nesse momento, tudo que o time precisava estava acontecendo, um gol naquela altura do jogo decretaria a classificação do time, sem mais preocupações, pois poderia ser goleado por até 4 à 1. Mas, com a saída do cobrador oficial do time, Ramon, o dito atacante, glorificado por ser um dos artilheiros do Brasil ( pois só jogou com time sem expressão como o Bahia, Colo-colo, Itabuna, Feirense, Fluminense de Feira, dentre outros), teve a audácia de pegar a bola para cobrar a penalidade. Por que não deram a bola para Bida? Por que o prórpio Viávara não cobou? Mas não, o artilheiro do Brasil foi cobrar, e aí, displiscente, desatento e sem talento, cobrou à meia altura, nas mãos do goleiro Juninho, aos 16 minutos do segundo tempo.

Após esse fato patético, com o apoio da torcida e com um elenco mais forte do que o do Vitória, o Atlético MG, partiu para cima e, aos 19 minutos do segundo tempo, numa bola levantada  na área, Welton Felipe (Quem?), conseguiu ficar sozinho diante da multidão de defensores sem competência do vitória, e marcou o segundo gol.

Aí ja viu, não é mesmo? 19 minutos do segundo tempo, sem o melhor jogador do time em campo e 2 à 0 no placar, era só rezar para a tragédia não ser pior.

Com tudo dando errado, desde a escalação do time, o treinador resolveu sacar uma das grandes esperanças do time, Apodi, que vinha fazendo uma péssima partida, e colocou outro lateral, Bosco, que acabou tendo uma boa participação no jogo.

O tempo foi passando, o Vitória continuava dominado, e o treinador resolve colocar Washington (outro jogador de pouca qualidade, mais um lado b do futebol paulista que o vitoria acolhe, como uma boa mãe), no lugar de Jackson, que também esteve apagado no jogo. Aí eu pergunto, por que o treinador não tirou Carlos Alberto, ao invés de Ramon, para colocar Adriano? Por que ele insistiu tanto na lentidão e limitação daquele rapaz que se diz atacante, que chora e que se acha craque, Neto Baiano? Por que não tentou definir a classificação no primeiro tempo e depois se fechou? O que será que acontece com esse time em momentos de decisão?

Pois então, com todas essas lambanças do treinador, a postura do time continuou a mesma e num lance imbecil, um “atleta profissional de futebol” chamado Uelliton, que ja tinha cartão amarelo, simplesmente arremeçou a bola para longe após uma falta, com o lance parado, e, amadoristicamente recebeu o cartão vermelho, dificultando mais ainda qualquer tipo de reação.

Aos 40 minutos do segundo tempo, em mais uma bola na área do Vitória, e mais um distúrbio mental da retaguarda rubro-negra, o galo fez o terceiro gol.

A partir daí, todas as esperanças já tinham ido embora, e, por sorte, por falta de competência do AtléticoMG, e por uma boa atuação do goleiro Viáfara, o jogo terminou, no tempo normal, em 3 à 0, levando a partida para as grandes penalidades.

Como todos nós sabemos, penalti é uma grande loteria e o fator sorte influencia muito no resultado. O Vitória partiu para as cobranças sem seu melhor batedor, Ramón, e totalmente abalado depois de uma partida vergonhosa e um bombardeio atleticano. Já o Atlético, partiria para as penalidades super motivado depois de conseguir tirar a imensa vantagem, de ter feito uma grande partida e o goleiro Juninho mais ainda depois de pegar um penalti no segundo tempo.

Mas aí entra a magia do futebol e o que o torna mágico. Inesperadamente e injustamente (por conta das circunstancias da partida), o vitória concluiu em gol as suas 5 cobranças e o goleiro Viáfara consegue defender a quinta e última cobrança do time mineiro, classificando o time para as quartas de finais da Copa do Brasil.

Depois do que vi hoje, eu termino esse texto fazendo algumas perguntas:

O que será de nós na sequência dessa competição? O que será de nós no dificil e longo campeonato brasileiro? O que faremos na Taça Sulamericana? Até quando teremos jogadores como Neto Baiano, Uelliton, Carlos Alberto, Walace, Luciano Almeira, etc, em nosso elenco?

Até quando teremos essa postura provinciana e passaremos por esse tipo de humilhação??!!!!

Ricardo Cavalcante é um baiano gente boa, morador de Salvador… Torcedor fanático do Vitória. Colabora com o FLANEWS e convida a galera a ler seus textos no seu blog pessoal, acessando aqui.

h1

Hipocrisia dos vencedores

14/10/2008

 

Acho que todos concordamos que a derrota de sábado foi vexatória. Ponto. Um feitiço que virou contra o feiticeiro. Aquela massa rubro-negra de mais de 70.000 pessoas que tentou assustar os atleticanos terminou por assustar os flamenguistas, e no final das contas os ansiosos, nervosos e inseguros foram nossos jogadores.

Mas não é culpa da torcida. Nunca. Todo mundo fez a sua parte. Pagaram, entraram, gritaram e até empurraram o time durante o ainda pequeno 1×0 . O problema é que já não é de hoje que o Flamengo sofre de uma hipocrisia de vencedores. Aquela que faz o time achar que ta tudo ótimo só porque não tem perdido os últimos jogos.

Vai, vamos admitir. Caio Junior é acomodado. Isso ta provado desde a época em que o Marcinho deixava o Flamengo em primeiro lugar na tabela. E também depois que o Flamengo passou a ser cotado como candidato ao título. Claro, ele passou por uma fase de vacas magras quando o time não tinha sequer um atacante competente. Daí vieram os atacantes. Um, dois, três, quatro. Ataque não é mais problema (espero!).

Agora será que alguém reparou que a defesa carece de trabalho?

Não, eu juro que não to brincando. Adoro o trabalho do Ronaldo Angelim, e o xerife Fábio Luciano tem uma experiência invejável. Mas peguem os VTs das últimas partidas e vejam quantas vezes o time adversário entra na área flamenga. E conte quantos tentos deles foram convertidos de dentro da área. É absurdo. E os outros times não deixam o Flamengo entrar na área, claro, porque têm a defesa arrumada (vide Galo).

Como o meio-campo funcionava (ênfase no “ava”), e o ataque passou a chegar mais, a defesa pouco trabalhava e por isso escondia esse defeito. Algo acontece com Seu Fábio e Seu Ronaldo. E não preciso dizer que Dininho e Leonardo são fantasmas vestindo camisas vermelha e preta. E que Jaílton precisa consultar no Wikipedia o significado de “zagueiro”.

É só o meio-campo não funcionar, um Juan não jogar, e um Sambueza ser improvisado na lateral que a defesa mostra sua verdadeira cara. Aliás, poderiam banir a palavra “improvisado” da Gávea. Se na agência onde eu trabalho eu começar a fazer o trabalho dos outros, o patrão vai à falência. Sério. Quer improvisar, reveja o elenco, talvez seja hora de contratar alguém.

E não culpem o Bruno, o cara não tem culpa de um adversário de timeco chegar sozinho na frente dele. É o único que eu acredito de verdade que quer o título. Um bom começo. Antes o goleiro que qualquer outro.

É hora do Caio avaliar o trabalho dele com a defesa. Tá faltando xerife na linha da área, ta faltando gente que desarme. Ouvi outro dia “Toró é excepcional. De todos os desarmes do Flamengo no jogo, 3 foram dele”. Três?? Noventa minutos e o cara fez só 3 desarmes.

Quero ver o Flamengo fechar a defesa. Impedir que cheguem. Agora nosso título vai depender da má sorte dos adversários. Além, óbvio, da nossa competência. E se eles não fizerem mais gols, vou continuar acreditando no título.

Saudações Rubro-Negras.

 

Felipe dos Santos, o Phill é mais um rubro negro desiludido com a vexatória derrota do time de Caio Jr para o esforçado Atlético Mineiro no Maracanã lotado.