h1

06/08/2009

tarja

Fala galera, aproveitando o embalo da reformulação do Flanews, a coluna semanal Espaço Phill está de volta, também de cara nova. As circunstâncias realmente fizeram com que eu me afastasse um pouco da honra que é poder falar semanalmente com tantos rubro-negros, mas agora o forno já está aceso novamente.

A pergunta que não quer calar nunca é: “Pode-se esperar algo de um time em ano eleitoral?”. Será que dá realmente para ignorar tanta coisa extra-campo diariamente e jogar bola como se nada estivesse acontecendo? Eu que sou apenas um torcedor distante, morando em São Paulo, que nunca vi o Leo Moura ou o Andrade de perto, não consigo ignorar o fato de que voa cadeiras em reunião da diretoria. Será que dentro de campo algum jogador consegue?

“Estou aqui no Flamengo para disputar o campeonato e pôr a faixa no peito” Delair Dumbrosck – presidente do Flamengo

Eu queria muito ver o Flamengo campeão, principalmente por se tratar de um ano em que o campeonato está tão equilibrado e até mesmo Avaís e Barueris da vida estão dando surra em alguns considerados grandes do futebol brasileiro.

Mas como disse Kleber Machado no seu programa Arena Sportv, até onde o cara consegue gerir um clube com braço de ferro sem colocar paixão no negócio? A moda dos presidentes super-otimistas talvez esteja cegando a boa administração do clube. O clube vive péssima fase, admitam de uma vez.

“No próximo jogo pode ser pior. O que vai acontecer? A vaia se cala com o bom futebol. O Léo Moura se perdeu, mas é normal. Ele é um grande jogador e tem que ficar tranquilo porque se for bem vai conseguir os aplausos” Adílio – ex-jogador

Deixe de olhar todos os problemas extra-campo e dê uma rápida olhada pra dentro dele.  Consegue enxergar algum buraco? Eu enxergo muitos. Mas não são os buracos provocados pelo último show do Roberto Carlos, são buracos de ausência. Quase dá pra ver uma bola de feno passar por ele, gaivotas grunindo. São buracos deixados por Ibson, Fábio Luciano e (sim, acredite) por Renato Augusto. Desde suas saídas, o Flamengo ainda não providenciou substitutos à altura. Alguém que crie jogadas, alguém que alimente os atacantes. Adriano é craque, mas não vai fazer gol se não vir a cor da bola. Léo Moura só joga bem se o time ta em boa fase. Se doa, mas só se houver motivação, senão xinga mesmo (affe). Menininhos de 10 anos na zaga não recriarão a melhor dupla de zaga que o time já teve com Angelim e Fábio.

Respondendo a pergunta anterior, duvido um pouco que o Flamengo chegue ao campeonato este ano. Mas acredito em Libertadores, temos time para isso. Mas não vai dar para ficar imune ao que acontece na sala dos sócios do clube. Muita cadeira ainda vai voar, e se não souber se desviar, voa pra longe.

Fellipe dos Santos, o Phill – flamenguista distante do clube, mas mais perto da realidade do que muitos por lá.

Anúncios

3 comentários

  1. Phill, concordo contigo. A única questao é que nao considero Angelim e Fl a melhor dupla de zaga que o Mengao ja teve.
    Tenho saudades é de Leandro e Edinho (ou Aldair), de 87. Era foda!


  2. Mozer e Figueiredo ou Mozer e Leandro.


  3. Se for mais longe, tem Rondinelli também.



Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: