h1

ESPAÇO PHILL

09/09/2008

Jogando de igual para igual

Estamos no meio de uma semana muito importante para o Flamengo. Importante porque enquanto você lê essa coluna, a cada minuto, um juiz carimba as burocráticas papeladas de registro de mais um jogador no BID, da CBF.

E alguns desses jogadores estão ali, com nome completo e papel passado na fila de espera para jogar no Mengão. Reforçar o Mais Querido. Levá-lo de volta à primeira – e merecida – colocação.

A cada passo, o Flamengo volta a ter um time. A passos mais largos, volta a ter um elenco. Aquela família que joga por todos e não por si só. Uma característica de só quem joga no Flamengo. Dá uma olhada no São Paulo, dá uma olhada no Santos. Em situações diferentes, claro, mas sofrendo por falta da velha palavra que vence jogos: “entrosamento”.

Quando um time é entrosado não importa se sai José e entra João. Se Luís rende mais que Carlos. Um banco de reservas serve para dar àquela posição antes especificada, a reposição a um jogador que está saindo por qualquer motivo. Mas sem perder a qualidade, sem perder o ritmo.

Muitos times treinam, todo dia, arduamente abaixo de sol e chuva, e pra variar o resultado é sempre o mesmo: titulares vencem reservas. Quando raramente os reservas vencem, então é porque os titulares estão muito mal. Seria como diariamente colocar seu time do coração pra treinar contra o Ceará (desculpe torcedores do Ceará). Você confiaria que seus jogadores realmente entenderam a jogada, absorveram o ensinamento só porque ganharam de 4×0?

O Flamengo começou o ano com um banco invejável. E aos poucos foi perdendo. Luisinho, Egídio, Éder, tiveram de ser mais utilizados. E o time caía em qualidade. Mas agora temos um banco que treinador qualquer gostaria de ter uma dor de cabeça para escalar.

Fiero, Josiel, Sambueza, Fernandão, Fernando, Maxi, Vandinho e outros. Fala pra mim, não soa uma equipe titular de um time de grande expressão? Pois são os reservas que a partir desta semana, o Flamengo poderá contar a cada rodada. Jogaremos sem perder o nível. Os treinos passarão a ser disputados de igual para igual, sem resultados previsíveis.

É o que merece os torcedores do Mengão. Ver um time arrumado, com opções, com qualidade sobrando e transbordando pela calha do clube. Claro que isso é lindo de longe. Resta saber se Kleber Leite conseguirá manter um elenco sempre motivado (leia ‘salários em dia’) e feliz.

A pergunta que fica no ar é: “Se Ronaldo Fenômeno entrar ano que vem no Flamengo, conseguirá a união dos jogadores resistir?” No São Paulo com Adriano, parece que não…

 

*Felipe dos Santos, o Phill, escreve sua coluna semanal no Flanews.

Anúncios

7 comentários

  1. Phill gostei muito da sua coluna mais uma vez, quando diz que hoje o Flamengo tem um banco de nivel concordo com voce , mas acho que nosso “banco” tem uma deficiencia, a zaga. Tiago Salles, Leonardo e Vandinho nao estao no mesmo nível dos demais.


  2. CARO PUCHEU,
    VANDINHO NÃO. ELE É BOM PRA C… ACHO QUE VC QUIS DIZER ELTINHO, NE?


  3. Realmente escrevi errado quanto ao Vandinho, refiro-me ao Dininho, que jogou no Palmeiras


  4. Bacana o seu texto. Expressa uma visão muito interessante. Mas acho que julgou mal a passagem do Adriano pelo São Paulo. Ele foi muito querido lá, por tudo o que eu saiba.


  5. O título ainda é possível, acho que agora que a torcida tá tendo os reforços, como queria, é hora de apoiar e muito. Porque torcida assim, só a nossa. Sempre foi o maior diferencial do Flamengo, e se recuperarmos aquela sinergia que conseguimos no final do Brasileirão 2007, acredito mesmo que lutemos pelo título. Espero encontrar outros torcedores daqui no maracanã, e quem sabe até fora do Rio. Um abraço


  6. O título é difícil mesmo, mas possível. Não acredito que o Grêmio consiga no segundo turno o mesmo aproveitamento do primeiro. Acho que poderemos ver novamente a arrancada do ano passado. Esse jogo contra o São Paulo é chave. Se pelo menos empatar, a torcida encherá o maracanã na rodada seguinte e aí, ninguém segura mais.


  7. Querido até o roupeiro é. Mas o fato é que durante um tempo o time teve uma celebridade em campo, e depois disso o entrosamento nunca mais foi o mesmo… Valeu pelos elogios, abração!!



Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: